Quem somos

Respondendo a um sentimento de urgência nacional, 250 cidadãos lançaram, no dia 17 de Novembro de 2014, um movimento com o objetivo de mudar a política e as políticas em Portugal. Para além da organização da resistência, mais do que nunca necessária, juntaram-se para contribuir para a construção de uma alternativa à austeridade, à destruição do Estado Social, à precariedade e à desigualdade. Para isso, estes cidadãos convocaram uma convenção com o objetivo de fazer nascer uma candidatura às eleições legislativas de 2015. Essa convocatória foi aberta a todos e a todas e contou com milhares de subscritores. Nesta convenção cidadã, que se realizou em Lisboa, no dia 31 de Janeiro, participaram cerca de 800 subscritores que aprovaram a orientação política do movimento, as suas linhas programáticas, o modo de eleição dos candidatos a deputados em primárias, a forma de funcionamento do movimento e elegeram os órgãos dirigentes da candidatura.

A Candidatura Cidadã TEMPO DE AVANÇAR conta com o apoio público de quatro organizações políticas: LIVRE, Fórum Manifesto, Renovação Comunista e MIC-Porto. De acordo com a lei, apresentar-se-á às eleições legislativas no quadro legal da única destas organizações que está constituída como partido político: o LIVRE. E será sempre uma candidatura de cidadãos em que todos os subscritores terão idêntica capacidade de participação e decisão democrática.

Os documentos políticos fundadores da Candidatura Cidadã TEMPO DE AVANÇAR são, para além da convocatória para a convenção, o Documento de Orientação política (“De todos, para todos”) e as linhas programáticas (“Avançar agora para recuperar o futuro”). O Conselho da candidatura é composto 50 eleitos em lista, 22 uninominalmente, 22 pelos círculos eleitorais e os deputados que venham a ser eleitos (para além de representantes dos grupos de trabalho e grupos temáticos, com estatuto de observador). O Conselho elege entre os seus membros 15 pessoas que serão responsáveis pela direção política e orgânica quotidiana do movimento.

Todos os cidadãos podem, desde que se revejam nos documentos políticos aprovados em convenção, subscrever esta candidatura, participando, a partir desse momento, em igualdade de circunstâncias com todos os restantes subscritores na vida democrática desta candidatura. Agora, é preciso fazer crescer esta candidatura cidadã. Porque é TEMPO DE AVANÇAR.

Partilhe este post