rafael

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:Sérgio Rafael Esteves Martins

Data de nascimento:
2/4/1988

Naturalidade:
São Sebastião da Pedreira, Lisboa

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Tenho 27 anos e acho que estou comprometido politicamente desde os 15. [Não. Talvez não seja boa ideia começar pelos números.] Prefiro dizer que passei por experiências políticas através de algumas das suas modalizações: a primeira porque existo e isso faz de mim um sujeito político, e, depois desta, aquelas experiências que estão aquém e além de mim: institucionais e muito pouco institucionais, radicais e muito bem comportadas, brutas e meiguinhas. Com alegria, algum desalento e muito empenho, oscilei entre aquilo que é a “política organizada” e a organização politizada do “estou sozinho mas tenho voz”, sem pesar uma sobre a outra. Alguma cronologia: passei por uma juventude partidária na Amadora; fui dirigente associativo do ensino secundário em Queluz; sou sócio fundador de uma associação cultural em Torres Vedras; sou co-autor do Manifesto por um Futuro Europeu; participei na fundação do LIVRE e pertenço ao Grupo de Contacto do mesmo; fui promotor do Tempo de Avançar; e fiz e faço da rouquidão palavra sempre que posso, na rua e no Mundo. Trabalho desde os 18 anos e só conheço a precariedade que vai de um contrato quinzenal a uma bolsa renovável. Já publiquei artigos sobre ética e representação; memória e poesia; escrevi uma tese sobre “Os Lusíadas” e a “Bhagavad Gita”. Gosto de jardinagem, de acompanhar o chá com cigarros e sei que vou passar muito tempo a estudar uma língua morta. No meio disto, gostava de viver num terra mais respirável, social e ambientalmente.

Apresentação da candidatura
Colocar uma pergunta será sempre mais difícil do que acertar numa resposta. Por outro lado será sempre mais operativo perguntar do que responder. E eu quero perguntar sobre o que já está respondido. Se os dicionários fossem filmes sem fim poderíamos saber verdadeiramente o que é Liberdade, Política, Pessoa, Democracia. Sobretudo gostava de fazer repousar uma pergunta sobre a cidadania: e se cada cidadão soubesse que é um político? Sabemos o que quer dizer política, para que é que serve o estado, e porque é que juntos temos mais força do que sozinhos. Ensina-nos a vida. Estou em crer, por outro lado, que hoje Platão repensaria “A República”. E isso ensinou-me a curta vida do meu gesto político. Das assinaturas que recolhi para o LIVRE escaparam outras de quem me disse não acreditar na política. A todas essas pessoas quis dizer que tudo é político. Arrisco ao dizer que a Antígona não foi morta por Creonte, mas pelo esquecimento. E eu não posso telefonar ao Sófocles para revelar que os cadáveres não são políticos e que a Antígona podia ter vivido sem ter lutado publicamente pela dívida política do enterro do seu irmão. A força de uma ideia reside em quem lhe dá corpo, voz e mão. E quanto à ideia que subjaz à Política é preciso conservá-la sem a deixar cair numa corrupção que deixou de ser somente financeira no momento em que perdeu a sua força por minha escolha, quando deixei de nela acreditar, quando deixei de perceber que através da política se construía um presente e um futuro melhores. Encontro-me hoje sobre os escombros de um século que tarda em largar os seus conflitos, ideologias e sobretudo categorias, mas sou eu quem escolhe largar passados e não fazer deles nostalgias; só assim observo a paisagem transformada, “inteira e limpa”. Sei que não quero este presente e estou certo de que há mais perguntas do que respostas. São estas as razões que me fazem candidatar a umas primárias abertas. E a uma só voz: de Deus ao Estado, nem submisso nem autoritário.

Áreas de intervenção preferenciais
Direitos, Liberdade e Garantias

Como pensa interagir com os eleitores?
A representatividade não é solilóquio, é diálogo. Fora isto tenho a sorte de viver numa era repleta de veículos de comunicação. A quem está longe o virtual e a quem está perto o rosto. A conversar é que a gente se entende.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Aveiro

No Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=1074764813
No Twitter: https://twitter.com/rafaelesmartins
Site pessoal ou blog:

Proponentes de Rafael Esteves Martins