foto Lurdes Macedo

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
Maria de Lurdes de Sousa Macedo

Data de nascimento:
6/17/1971

Naturalidade:
Espinho

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Professora Auxiliar a tempo integral na Universidade Lusófona do Porto, na licenciatura em Ciências da Comunicação e da Cultura, desde 2014. Assistente na mesma universidade, e na mesma licenciatura, entre 2008 e 2014. Assistente convidada na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viseu, entre 2009 e 2012. Doutorada em Ciências da Comunicação – Especialização em Comunicação Intercultural – pela Universidade do Minho, desde 2013. Investigadora do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho, desde 2006. Professora e investigadora convidada em várias universidades brasileiras, entre 2009 e 2012. Autora e co-autora de mais de vinte artigos e capítulos de livros em publicações nacionais e internacionais. Co-editora do Anuário Internacional de Comunicação Lusófona em 2010 e 2011. Consultora na área do desenvolvimento, desde 2003, tendo feito parte de várias equipas independentes, responsáveis pela avaliação de políticas públicas. Consultora na área da cultura, na ótica do desenvolvimento organizacional, local e regional. Membro da direção da Associação de Estudantes da FPCEUP no mandato 1993/94, participou ativamente na contestação à lei das propinas, estando presente em vários ENDA e em várias manifestações em frente à Assembleia da República. Membro fundador, tendo feito parte da primeira direção (mandato 1994/95), do Centro de Relações Internacionais dos Estudantes da Universidade do Porto.

Apresentação da candidatura
A crise em que vivemos nos nossos dias é uma crise sistémica, de paradigma, resultante da aliança entre a democracia liberal de tipo representativo (e não participativo) e o capitalismo que opera à escala internacional. A “realpolitik”, que tomou a primazia em relação à ideia primordial de política, bem como o desinteresse dos cidadãos pelos assuntos da governação – demonstrado pelas elevadas taxas de abstenção em todas as eleições – também não são alheias a este cenário de crise, em que os interesses económicos e da alta finança levam a melhor sobre os interesses das pessoas. É tempo, pois, de os cidadãos tomarem nas suas mãos as rédeas das suas próprias vidas, unindo-se em torno de movimentos capazes de fazer um outro tipo de política: uma política alicerçada na democracia participativa, na qual a governação não fique a cargo apenas dos “happy few”. A participação requer, contudo, um conjunto de condições que parece não estar reunido na nossa sociedade: uma educação que ensine os jovens a pensar; uma oferta de fruição cultural diversificada, plural e acessível a todos; uma informação (nomeadamente a veiculada pelos media tradicionais) centrada em questões diretamente relacionadas com as vidas dos cidadãos e não em questões de artifício e de superfície. É neste sentido, o de reunir condições para uma maior e melhor participação dos cidadãos na construção da democracia, que me proponho atuar. Assim, bater-me-ei contra a degradação da nossa educação e a favor de uma escola promotora do desenvolvimento integral do cidadão; contra a mercantilização da cultura e a favor da democratização (e não massificação) da mesma; contra o controlo dos media por parte dos grandes grupos económicos e a favor de um jornalismo independente. Dar poder aos cidadãos passa por concebermos a liberdade como um valor do qual só poderemos tirar o devido proveito, se formos capazes de pensar por nós próprios e de participar nas decisões que determinam o rumo das nossas vidas.

Áreas de intervenção preferenciais
Cultura, Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, Comunicação Social

Como pensa interagir com os eleitores?
A interação com os eleitores terá por princípio a sua participação ativa. Esta participação deverá ter dois canais privilegiados: o presencial, através da realização de reuniões e encontros periódicos com os eleitores e demais cidadãos interessados; e o virtual, através de contactos permanentes nas redes sociais e de encontros via Skype.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Aveiro
Círculo do Porto
Círculo de Viseu

No Facebook: http://facebook.com/lurdes.macedo.39
No Twitter:
Site pessoal ou blog:

Proponentes de: Lurdes Macedo