foto

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
Joana Maria Laranjeira Rocha

Data de nascimento:
11/26/1991

Naturalidade:
Porto

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

O meu nome é Joana. Nasci num dia chuvoso de outono no Porto. Filha de pais biólogos licenciei-me em Biologia pela Universidade do Porto e fiz mestrado em Biodiversidade Genética e Evolução. Hoje sou bolseira num centro de investigação. Nunca fiz parte de um partido e tentei sempre manter uma distância de questões políticas, provavelmente porque passei a minha infância rodeada de discussões e histórias políticas familiares, sendo pressionada para tomar partido disto, ou daquilo. Bisneta de um dos fundadores do PS, neta de um engenheiro comunista e filha de um cientista Trotskista, sempre fiz questão de me manter longe da política. No entanto, isso nunca me alheou das questões do mundo, nem do que se passa a minha volta. Vim de uma família de intelectuais de esquerda privilegiados que sempre me incentivaram a de alguma forma envolver-me com questões sociais e políticas. O meu contexto social deu-me a conhecer bastantes pessoas com mundivisões muito diferentes. De todas elas, o desprezo ou indiferença para com o próprio país é a minha principal fonte de preocupação. Algumas pessoas da minha idade são indiferentes ao desemprego, outros dizem que só é desempregado quem não quer trabalhar. Tudo isto me revolta profundamente. Em conversa com um amigo percebi que podia fazer alguma diferença no LIVRE. É necessário instigar as pessoas para se preocuparem com a situação que vivemos, ou a se incomodarem o suficiente para sentirem que podem agir e fazer a diferença.

Apresentação da candidatura
A minha visão do mundo passa por um estado social. Se fosse um super-herói a minha luta seria para dizimar o desemprego e desigualdades sociais, vilões que cada vez mais assolam o nosso país. A minha causa mais próxima é a ciência. É ver jovens talentosos, brilhantes e com um potencial desmesurado serem forçados a emigrar com a sentença do desemprego e falta de perspectiva. É o estatuto forçado de bolseiro que não garante uma reforma. Precisamos de um estado social, precisamos de jovens envolvidos e preocupados, precisamos de emprego, de gerar postos de trabalho, precisamos de acarinhar quem é talentoso e quem nos faz andar para a frente, precisamos de financiar a ciência usando critérios lógicos, justos e rigorosos. É impensável acabar com subsídios de desemprego. É impensável o salário mínimo actual. Tem que aumentar. Precisamos de contractos não de bolsas.

Áreas de intervenção preferenciais
Se fosse eleita gostaria de fazer diferença nas áreas que me são mais próximas: ciência e sociedade. Cresci e fui educada nos pilares da liberdade de expressão e de pensamento e igualdade de direitos. Sou total defensora da dignidade humana e dos direitos humanos. Como mulher em ciência gostaria de promover a igualdade de salários entre homens e mulheres. Gostava de ver mais mulheres a serem líderes de grupo em ciência e investigação. Acho que se deviam criar iniciativas que estimulassem o papel das mulheres em ciência. Por exemplo lembro-me de olhar para uma fotografia da primeira conferência de Física, em 1911, que reuniu os maiores físicos do seculo XX. Havia uma única mulher: Marie Curie. Daqui a cem anos, quando uma jovem cientista olhar para uma fotografia de qualquer conferência que reúna as maiores mentes de um assunto espero que tenha o prazer de ver não uma Marie Curie, mas muitas delas.

Como pensa interagir com os eleitores?
Contacto presencial, e-mail, ou através das várias redes sociais.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo do Porto

No Facebook: https://www.facebook.com/joaninha.rocha.9
No Twitter: https://twitter.com/joanamlrbio
Site pessoal ou blog:

Proponentes de Joana Rocha