foto jmfb 4

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
João Maria Nascimento de Freitas-Branco

Data de nascimento:
3/8/1955

Naturalidade:
Campo Grande, Lisboa

Nacionalidade:
Portuguesa
Apresentação pessoal

Autor de livros, ensaios e numerosos artigos sobre filosofia social e política. Professor/investigador abarcando, entre outras, a área do pensamento político. Activista, conferencista, orador em iniciativas políticas em Portugal e no estrangeiro. É autor do blog “Razão” ( razaojmfb.blogspot.pt ) e tem sido ao longo da vida colaborador de múltiplos órgãos de comunicação social. Co-fundador do MDR-Movimento para a Democratização do Regime. É Vice-Presidente do NAM- Não Apaguem a Memória. Director do Movimento Mirante para a Cultura e o Desenvolvimento. Co-fundador e membro da Direcção da Plataforma de Esquerda durante toda a sua existência. Foi deputado autárquico. Promotor e principal responsável de tertúlias dedicadas à discussão de temas políticos. Promotor do Grupo de Política Igrejas Caeiro. Foi delegado sindical (sind. dos professores/SPGL) Foi membro da Direcção da secção estrangeira do PCP na Europa Central, tendo depois integrado o Movimento Crítico interno que originou a grande cisão de 1991. Quadro dirigente do PCP, a nível concelhio. Desenvolveu ao longo de toda a vida uma vasta actividade na área da cultura e das artes, tendo sido fundador, presidente, director e colaborador permanente de várias instituições de natureza cultural. É actualmente Presidente do Ginásio Ópera e membro do júri nacional do ICA-Instituto do Cinema e do Audiovisual para o financiamento da indústria cinematográfica.

Apresentação da candidatura
Neste nosso presente os sintomas de decaimento da vitalidade civilizacional e de retrocesso civilizacional têm vindo a adquirir alarmante exuberância em função da banalização da imoralidade, do recrudescimento da desigualdade, da perda de densidade cultural, do primado da superficialidade, da inundação de futilidade cretinizadora. Efeito de tudo isto e pior que isto tudo é a perda de sentido. Esta candidatura pressupõe a urgência da acção consequente contra a reorganização sociopolítica do Mal, procurando contrariar o seu movimento de eterno retorno. O próximo acto eleitoral é o mais importante desde 1975. O que está em jogo nas próximas eleições legislativas é a opção entre a continuidade e a ruptura; entre uma política divorciada da moral, o Austeritarismo, e uma política conciliada com a moral que salve a Liberdade. É a escolha entre a continuidade de um regime decadente, de uma democracia enferma, e a fundação da 3ªRepública com a criação de uma sã e robusta democracia de novo tipo, acentuadamente participativa. Embora não apagando a tradicional oposição esquerda/direita, este momento em que se impõe injectar decência na vida pública travando a sua degradação, abre espaço a entendimentos mais amplos, no quadro geral do espectro político. A construção dessa unidade conjuntural faz-se em torno de objectivos concretos, dando prioridade aos seguintes: A questão cultural Defesa do Estado social e combate à desigualdade e pobreza Combate à corrupção Democratização do regime Renegociação da dívida Crescimento económico e combate ao desemprego O SNS e a Escola pública, com qualidade, são inalienáveis factores de coesão social e de equidade. Sem eles a Democracia é uma impossibilidade. Existe forte ligação entre Legislativas e Presidenciais, sedo recomendável uma convergência estratégica com um candidato à PR que de forma inequívoca se oponha ao Austeritarismo e se declare defensor dos objectivos constitutivos da base de uma coligação governamental anti-austeridade.

Áreas de intervenção preferenciais
Cultura / Educação / Ética / Direitos, liberdades e garantias.

Como pensa interagir com os eleitores?
Ouvir os eleitores. Alertar para as questões mais decisivas no tempo presente.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Lisboa

No Facebook: João Maria de Freitas-Branco
No Twitter:
Site pessoal ou blog: razaojmfb.blogspot.pt

Proponentes de João Maria de Freitas-Branco