IMG_2229

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
Susana Pedro Mil-Homens

Data de nascimento:
2/6/1988

Naturalidade:
Caldas da Rainha

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Susana Pedro Mil-Homens, 27 anos, natural de Caldas da Rainha. Enfermeira de profissão, formada pela Escola Superior de Enfermagem de Lisboa. Comecei a minha vida profissional em Inglaterra, aos 22 anos, tendo conhecimento quer do sector privado quer o sector público onde trabalhei. Passei ainda pela Arábia Saudita durante um ano, onde exerci enfermagem. Após regressar a Portugal deparei-me com as dificuldades inerentes ao trabalho precário, à dificuldade de querer ser uma cidadã activa e ter estabilidade no trabalho, ao sistema ainda existente nas nossas instituições, de não ter uma hierarquia funcional que defenda os seus trabalhadores. De momento lecciono Inglês em regime recibos-verdes, em escolas de um meio socialmente pobre, com problemas vários. Fiz voluntariado em Portugal, e durante o meu curso optei por trabalhar e conhecer meios desfavorecidos, que reflectem também o que o nosso país é hoje. Gostaria de poder partilhar em Portugal, o que de bom vi, ao nível da Saúde e Educação nos países pelos quais passei, cuidadosamente adaptando à nossa cultura/identidade.

Apresentação da candidatura
Candidato-me como cidadã para que possa ajudar este país com mais de 800 anos de história, a reerguer-se. O desafio mais difícil porventura será mobilizar quem se afastou há muito da actividade cívica, e aqueles, nomeadamente jovens que pelas condições precárias em que se encontram ou por não terem a sua consciência cívica desperta, que despertem para a cidadania. Reerguer um país passa por trazer de volta os nossos jovens imigrantes, criar condições justas de trabalho. Passa por educar e apostar na cultura, e fazer compreender a toda a população que sem uma boa base e rede de suporte educacionais, não só se perde a identidade, perdem-se gerações de um país. Apostar nos cuidados de saúde primários e na prevenção de doenças, poderá criar inúmeros postos de trabalho e impulsionar também a economia, um país mais saudável, trabalha mais, vive melhor e não vive apenas para trabalhar. Fazer perceber a todos os cidadãos que estamos de facto interdependentes, e que a acção/não-acção de cada um, afecta o futuro de todos.

Áreas de intervenção preferenciais
As áreas de intervenção que vejo como preferenciais são: – A Saúde : o caminho poderá ser feito pela grande aposta e dinamização dos cuidados de saúde primários, financiando centros e unidades de saúde, apostando na formação dos profissionais de saúde na área comunitária, e utilizando equipas de cuidados de saúde, especializadas, que poderão seguir os doentes nos domicílios ao invés de ter doentes internados em hospital. Sendo o hospital o último recurso a utilizar da grande cadeia que são os cuidados de saúde, investindo em muito na prevenção. – A Educação: turmas mais pequenas, aulas mais dinâmicas e práticas, apoio aos professores e alunos, quer na área da educação especial, quer na área da psicologia, fazem parte de um sistema educacional de excelência, em que cada criança/aluno é único, com necessidades próprias e com um percurso singular, que deve ser apoiado pela escola. Os professores deverão assim ter uma boa rede de suporte, e vejo como uma prioridade aumentar essa mesma rede de suporte aos professores, para que no final a educação das crianças e também famílias seja plena. – A Agricultura/Ambiente, cada vez mais é essencial ter uma agricultura sustentável, que forneça os alimentos de amanhã sem prejudicar o futuro, isto é possível, alargando também a rede de suporte dos agricultores, podendo esta rede abranger uma imensidão de profissionais de várias áreas, optando, se possível por uma agricultura menos mecanizada, que ofereça mais oportunidades de trabalho. Vivemos num ecossistema, interdependentes uns dos outros, não cuidando das pescas, agricultura, não controlando a poluição causada pelas mesmas, arriscamos o nosso e o futuro dos nossos, é essencial envolver todos os cidadãos nesta causa.

Como pensa interagir com os eleitores?
Penso interagir com os eleitores através de acções de rua, debates/discussões públicas, utilizando as redes sociais e através, possivelmente de tertúlias temáticas, mais pequenas.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Leiria
Círculo de Lisboa

No Facebook: Susana Mil
No Twitter:
Site pessoal ou blog:

Proponentes de Susana Mil-Homens