Nobre-Correia

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
José Manuel Nobre Correia

Data de nascimento:
7/27/1946

Naturalidade:
Fundão

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Mediólogo e politólogo de formação. Investigador, assistente e professor na Université Libre de Bruxelles, uma universidade pública autónoma (1970-2011), mas também professor convidado na Université Paris II (1996-2006) e professor visitante na Universidade de Coimbra (1996-2001). Membro do conselho científico do Europäisches Medieninstitut, em Dusseldórfia (1995-2004). Paralelamente, diretor de diversas revistas e cronista em matéria de média durante largos anos em diversas publicações belgas (nomeadamente nos semanários Trends Tendances e Le Vif-L’Express, editados em Bruxelas). Coordenador dos conselheiros europeus do trimestral parisiense Médiaspouvoirs (1994-1998), conselheiro científico do trimestral madrileno Telos (desde 1996), assim como cofundador e membro do coletivo editorial do bimestral bruxelês Politique Revue de Débats (desde 1997). Autor de uma crónica semanal sobre os média nos portugueses Público (1990), Expresso (1994-2002) e Diário de Notícias (2008-2014) e uma crónica quinzenal generalista no Jornal do Fundão, Diário de Aveiro, Diário de Coimbra, Diário de Leiria e Diário de Viseu (2011-2013). Colaborador do Jornal do Fundão de maneira intermitente durante exatamente 50 anos (1963-2013).

Apresentação da candidatura
Portugal vive um momento histórico que redundará provavelmente numa viragem decisiva que poderá no entanto enveredar por sentidos totalmente opostos. Desde logo, perante o desencanto manifesto de grande parte da população, e muito particularmente dos jovens, em relação à vida política e aos partidos políticos, uma nova prática política se impõe urgentemente. Torna-se pois indispensável conceber uma intervenção inovadora, diferente, na vida política portuguesa, de modo a favorecer a viabilidade de uma ação reformista progressista em prol do Estado de direito e da justiça social. Por outro lado, a ação política em favor do “Portugal do interior” parece cada vez mais inadiável, se não se aceitar que esta grande maioria do território nacional se venha a transformar progressivamente num espaço de desertificação acelerada. Há que se impor perante a macrocefalia centralista de Lisboa, obrigando esta a uma programação social, económica e cultural caraterizada abertamente por uma discriminação positiva em favor sobretudo do chamado “Portugal de baixa densidade”. O acesso a um emprego motivante, a cuidados de saúde de excelência, a uma educação de elevado nível e a manifestações culturais de qualidade não pode ser reservado de facto a uma ou poucas mais aglomerações urbanas do país. Porque somos cidadãos com deveres iguais aos demais, reivindicamos também ser cidadãos com idênticos direitos, recusando um qualquer estatuto de cidadãos de segunda. Até mesmo porque só assim Portugal poderá vir a ser uma democracia no sentido mais amplo da palavra, e não uma democracia puramente formal…

Áreas de intervenção preferenciais
Média (informação e comunicação), política regional, política internacional, União Europeia, cultura

Como pensa interagir com os eleitores?
Permanência mensal de encontro com os subscritores do distrito. Artigos na imprensa escrita e intervenções nos média regionais e nacionais. Temáticas específicas tratadas no meu blogue.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Castelo Branco
Círculo de Coimbra

No Facebook: https://www.facebook.com/jm.nobrecorreia
No Twitter: https://twitter.com/JMNobreCorreia
Site pessoal ou blog: http://notasdecircunstancia2.blogspot.pt/

Proponentes de J. M. Nobre Correia