Bruno Cochat

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:

Bruno Martins Cochat Osório

Data de nascimento:
4/5/1971

Naturalidade:
Lisboa

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal
Bailarino e coreógrafo de formação, licenciado em Dança, pela Escola Superior de Dança, ando nestas “andanças” da interpretação, criação e produção de espectáculos, de Dança, Música, Teatro ou Ópera há mais de 30 anos e tenho assistido à degradação que este meio tem sofrido, ao nível do investimento do Estado na criação de condições para o desenvolvimento da criação artística em Portugal.
Professor de Expressão Dramática na Escola de Música do Conservatório Nacional desde 2003.
Professor do Quadro desta escola desde 2014. Nesta escola as “lutas” com consecutivos governos em que me envolvi têm sido também consecutivas; desde o possível encerramento dos Conservatórios, a Contratação atempada de professores, a integração dos professores no quadro da escola e a criação de condições de trabalho, para alunos e professores.
Membro da Comissão de Defesa do Conservatório Nacional e do Movimento “Eu Sou Conservatório Nacional”, que conduziu esta Comissão a ser recebida pessoalmente pelo Ministro da Educação e ao compromisso de uma intervenção profunda neste edifício.

Apresentação da candidatura
Por acreditar e ter experiência na efectiva força dos movimentos de cidadania, creio poder contribuir para a manifestação de interesses dos cidadãos livres e sem um necessário vínculo partidário.
Por acreditar que quando falamos de Cultura, falamos de Educação e quando falamos de Educação, falamos de Cultura. Porque temos de fomentar, o quanto antes, a “Cultura da Cultura” na Educação.
Porque é urgente uma intervenção na Educação em Portugal, na dignificação do trabalho dos Professores, nos sistemas de avaliação dos alunos e dos seus conhecimentos, na autonomia das Escolas e dos seus projectos específicos, na contratação dos Professores para cada “Projecto Educativo” e num maior envolvimento da Comunidade Escolar nos mesmos projectos.
Por estar ao inteiro dispor para a discussão e elaboração de alterações a levar a cabo no Sistema Educativo em geral e no Ensino Artístico Vocacional em particular.
Porque na Escola não devemos pretender criar “pequenos empreendedores”, mas antes seres humanos sensíveis, atentos, curiosos e pensantes, preocupados não apenas com o ambiente e o seu sucesso pessoal, mas acima de tudo com as pessoas, do colega do lado ao estranho do outro lado do Mundo.

Áreas de intervenção preferenciais
Educação – Ensino Artístico Vocacional. Cultura.

Como pensa interagir com os eleitores?
Acima de tudo, estar disponível para ouvir. Perante qualquer plano de intervenção, escutar as partes envolvidas em cada processo, principalmente as que se encontram a operar no terreno.
Na Educação, trazer todas as partes interessadas para o seio da Escola. Conseguir um maior envolvimento de toda a Comunidade Escolar; alunos, professores, pais e encarregados de educação, funcionários e comunidade envolvente de cada escola ou agrupamento no projecto educativo da instituição. Estar atento às necessidades especiais do Ensino Vocacional, na criação de condições ideias de trabalho para todos, logísticas, técnicas e artísticas.
Na Cultura, criar condições para a criação cultural para projectos já existentes e novas criações, a nível de um maior investimento nos apoios aos projectos relevantes na criação cultural.
Partilha dos espaços culturais já existentes atribuídos a estruturas de produção artística com novos projectos.
Criação de redes de apresentação dos objectos artísticos. Alteração da Lei do Mecenato, de modo a torná-la, de facto, interessante para quem apoia e acima de tudo, para quem é apoiado.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Lisboa

No Facebook: https://www.facebook.com/bruno.cochat
No Twitter:
Site pessoal ou blog:

Proponentes de Bruno Cochat