Rita Machado

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
Rita Sofia dos Santos Ferreira Machado

Data de nascimento:
9/25/1972

Naturalidade:
Coimbra – Sé Nova

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Rita Machado, Braga, 42 anos. Nunca quis filiar-me num partido. Estudei em Coimbra, bati-me por melhores condições no ensino superior, mas os pais substituem o Estado no financiamento de um Direito Constitucional. Engenheira Civil, trabalhei 15 anos na área do saneamento básico. Constatei o negócio da privatização dos serviços municipalizados. Especializei-me em segurança no trabalho da construção. Temos dos maiores índices de sinistralidade da Europa – 32 mortos até Março de 2015! Participei em projectos de reabilitação fluvial. Indignei-me com a desfaçatez com que poucos tiram proveito do território que é nosso. Desempregada entre 2013 e 2014, saliento o apoio inapreciável prestado pelos centros de emprego – apresentações quinzenais, com filas, declaração e carimbo. Muito obrigada! Com frequência suspensa do curso de Ciências Sociais, UAb. Um filho com 14 anos, pais, sogros e avó. Quero acreditar no futuro de um e num final de vida com dignidade de outros. Como, num país que rejeita os mais novos e não respeita ou estima os que envelhecem? Rita Machado, Braga, 42 anos. Nunca quis filiar-me num partido. Mas Portugal é um país gorado socialmente: não equitativo, não fraterno, sem igualdade de oportunidades. Não é Livre. Numa Europa também cada vez mais egoísta e insensível aos mais débeis. Apoiei um partido que defende a Liberdade, a Esquerda, a Europa, a Ecologia. Contribuí para a fundação do NT de Braga e integro o Grupo de Coordenação Local. É Tempo de Avançar!

Apresentação da candidatura
Aspiro à concretização de um poema. Simples, mas que nos querem convencer estar acima do que merecemos – “a Paz, o Pão, Habitação, Saúde, Educação” (Sérgio Godinho). Paz sã, de cidadãos que sabem o que querem para o seu País e para o Mundo. Com direitos e deveres para cada um, nas esferas social, económica, ambiental, cultural. Não a actual paz podre, subjugada aos interesses de poucos e que a tantos condena a uma subsistência estéril, mantida por governos dominados pelo mercantilismo e dívidas públicas insustentáveis – Renegociar a dívida. Maior regulamentação para os mercados. O Pão ganho no trabalho digno, seguro e sem discriminação de qualquer origem. Trabalho justamente remunerado que elimine recolhas e bancos alimentares, exibições de um altruísmo oco dos promotores, que perpetua a necessidade – Aumento do salário mínimo. Combater o desemprego. Maior fiscalização das condições de trabalho. Habitação para constituir família ou simplesmente ser autónomo. Em cidades, vilas e aldeias que respeitam o património natural e edificado e onde o território de todos não serve o lucro de alguns – Não à privatização da água. Renegociação séria e empenhada das parcerias público-privadas estabelecidas. Saúde assente num Serviço Nacional, para todos sem excepção, gerido para o bem comum e não grupos de interesse. Que, de infante a idoso, nos providencie os cuidados necessários e nos permita viver e morrer com dignidade – Alargamento das redes de cuidados continuados. Alargamento das redes de prestação de cuidados a idosos. Educação que seja a base da igualdade de oportunidades, da concretização de futuros sonhados, da solidariedade e fraternidade entre gerações e culturas, em Portugal e na Europa – Orientação para outras competências para além dos exames. Apoio real a alunos desfavorecidos. Aspiro à Liberdade, Igualdade, Fraternidade. Comprometo-me a trabalhar pelas nossas linhas programáticas que, acredito, nos deixarão mais perto de uma Sociedade próspera para todos

Áreas de intervenção preferenciais
Comissão de Economia e Obras Públicas, Comissão de Segurança Social e Trabalho, Comissão do Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local Interesse pessoal na área do envelhecimento da população e da emigração

Como pensa interagir com os eleitores?
Como ponto de partida, as redes sociais permitem uma interacção rápida com os eleitores, pelo que farão necessariamente parte da estratégia de comunicação. Um deputado eleito assume um compromisso com o círculo eleitoral que o elegeu. A calendarização periódica de “sessões de atendimento” são indispensáveis. Haverá também espaço à recepção de entidades, instituições, associações que o solicitem. É ainda relevante contactar com a realidade – não se pode ficar encerrado numa redoma. As visitas de reconhecimento, sem comitiva, farão parte das tarefas a desempenhar. Muitas outras iniciativas e estratégias serão também delineadas mediante os assuntos a tratar ou debater.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Braga.

No Facebook: https://www.facebook.com/home.php?ref=wizard
No Twitter:
Site pessoal ou blog:

Proponentes de Rita Machado