candidatura Carlos Melo

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:

Carlos Alberto Freitas de Gouveia e Melo

Data de nascimento:
11/15/1950

Naturalidade:
Português

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

1. Quem sou? Alguém da geração dos anos sessenta do séc. XX que, fiel à generosidade dos melhores daquela geração, nunca quis exercer o poder político, cometendo o erro de deixar ocupar o Estado português por sucessivos “filhos da puta”, que o puseram, em regra, ao serviço da alta finança.
2. Que tenho feito? Escolhi a via artística aos onze anos, doutorei-me na “Área Artística” na especialidade de “Estudos de Teatro”, (Universidade de Lisboa), ensino (Lisboa, Esc. Sec. Dom Pedro V) enceno (pedagogo-encenador no Goethe-Institut de Portugal com alunos de alemão) e investigo sobre máscaras. Recebi distinções nos domínios da pintura, literatura, performance e teatro. Obra publicada.
3. Porque me candidato? Não acredito em deputados “tutti-fruti”, o tempo é escasso e quero consagrar-me exclusivamente à defesa dos direitos dos reformados.
4. Por que me proponho uma tal missão? Tempos atrás, numa simulação no site da Segurança Social, a minha futura reforma nem chegaria aos cem euros! Sendo eu próprio acossado pelos que teimam em condenar a grossa maioria dos reformados portugueses à indigência, como não ser um seu bom combatente?

Apresentação da candidatura
1. Como me proponho lutar? Com a mesma determinação que me levou a enfrentar prisão política e exílio na minha luta contra o fascismo e a ser considerado, geralmente, um trabalhador de excelência na minha área.
2.Qual a minha maior proposta para os reformados? Que não haja nenhuma reforma abaixo do salário mínimo, porque se se acha que, abaixo do salário mínimo, ninguém tem o indispensável para viver, como se pode aceitar que alguém receba uma reforma de cem euros, ou ainda menos?
Outras propostas:
• Que nenhuma reforma ultrapasse o valor de 10 vezes o ordenado mínimo.
• Uma cultura social e política que respeite o saber adquirido através da vida e não deite fora os velhos como sucata.
• Qualificação/rigorosa inspeção das casas de repouso, ditos “lares”, de modo a que quantos as venham a utilizar ou utilizem, sejam tratados com todas as deferências a que a idade, só por si, tem direito.
• Luta pela manutenção/existência de uma tabela de descontos nas necessidades básicas, (saúde, transporte, alojamento, cultura e cabaz de alimentação) para reformados com reformas abaixo do salário mínimo.
• Todas aquelas propostas que, sendo razoáveis, a grande massa dos reformados me fizer chegar.
3. Que quero para mim? Fiz voto de despojamento (laico) aos dezoito anos e, à parte um apartamento que fui obrigado a comprar ao senhorio para não ficar na rua, não possuo qualquer outra propriedade. Considero-me rico porque não ambiciono coisa alguma e gostaria que a minha vida pudesse servir não apenas a mim.

Áreas de intervenção preferenciais
Especialmente na área dos reformados, sobretudo aqueles que têm pensões de reforma abaixo do salário mínimo nacional.

Como pensa interagir com os eleitores?
Com todos os sentidos e por todos os meios que sirvam os referidos objetivos.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Lisboa
Círculo de Setúbal

No Facebook: https://www.facebook.com/?_rdr
No Twitter:
Site pessoal ou blog: http://cgmelo.blogspot.com

Proponentes de Carlos Melo