RicardoFernandesSantos

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
Ricardo Fernandes dos Santos

Data de nascimento:
7/11/1982

Naturalidade:
Andorra

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Chamo-me Ricardo Fernandes Santos, tenho 32 anos, vivo em Lisboa desde os 18 e divido-me com o Porto desde 2007. Sou Arquitecto, Doutorado pela Universidade do Porto, Investigador e Cidadão a tempo inteiro. Na adolescência, durante o curso de Artes, comecei por desenvolver um conceito de liberdade pessoal na relação com os outros. Confrontei-me com a inevitabilidade interna de assumir uma participação cívica, tendo lutado de forma criativa pelos direitos dos animais. Na universidade fui construindo um caminho entre teoria e prática, entre investigação e profissão, entre pensar e fazer, percebendo que para intervir no presente teria de conhecer a “história inteira”. Interessei-me pela história da arquitectura portuguesa e pela sua geografia, depois pela etnografia, pelas pessoas e pela sua identidade. O interesse perdura. Recentemente fui eleito Vogal da Direcção da Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos, agarrando neste mandato a oportunidade de continuar a participar e lutar pelos direitos de todos, através da afirmação da arquitectura. Paralelamente desenvolvo um projecto editorial sobre as Operações SAAL iniciadas em 1974, para estudar e pensar sobre arquitectura e democracia, liberdade e participação, política e identidade. Sem filiação partidária e sem actividade política de forma organizada, acredito numa alternativa política de esquerda que quer formar governo e sinto o dever cívico de participar na Candidatura Cidadã Livre/Tempo de Avançar.

Apresentação da candidatura
1. Menos Dívida Mais Europa Por uma renegociação da dívida pública, em aliança com outros países europeus. Contra as políticas de austeridade e a transferência dos rendimentos do trabalho para o capital. 2. Menos Desigualdade Mais Coesão Pelo Estado Social, Serviço Nacional de Saúde, Educação e Segurança Social Públicas. Por uma sociedade mais igualitária e uma redistribuição mais justa da carga fiscal. Contra a política de privatizações e destruição do sector empresarial do estado. 3. Menos Precaridade Mais Equidade Pelo aumento progressivo do salário mínimo nacional. Pelo direito à habitação das famílias insolventes e contra a execução cega de hipotecas por dívidas ao Estado. Pela manutenção das pensões, subsídio de desemprego, rendimento social de inserção, complemento solidário para idosos e abono de família, como medida determinante para a redistribuição da riqueza e dinamização da economia. Contra o recurso sistemático a contractos a termo e “falsos recibos-verdes”. 4. Menos Cortes Mais Cultura Por um ordenamento do território mais equilibrado e maior autonomia regional. Pela reabilitação urbana, reocupação dos centros históricos e preservação do património. Pela reposição do Ministério da Cultura Pelo aumento progressivo do orçamento de estado para a Cultura. Contra a exclusão e desigualdades sociais promovidas pelo desenvolvimento assimétrico das regiões. 5. Menos Corrupção Mais Participação Por uma sociedade mais livre, mais democrática, mais transparente e mais participada. Pela promoção de uma cidadania activa, através de orçamentos participativos, consultas públicas, referendos e assembleias de cidadãos. Por maior liberdade de imprensa para a comunicação social Pela recuperação do papel da RTP enquanto serviço público. Por regras e práticas alternativas àquelas que actualmente limitam a escolha dos deputados para a Assembleia da República. Contra as desigualdades baseadas na identidade de género, orientação sexual, etnia e religião.

Áreas de intervenção preferenciais
Educação e Ciência; Cultura e Património; Arquitectura, Urbanismo e Obras Públicas; Ordenamento do Território e Ambiente

Como pensa interagir com os eleitores?
Criando uma relação de proximidade através de redes de comunicação simples, a partir das quais se possa ouvir e dar a palavra aos eleitores; Promovendo espaços de debate, de apresentação e discussão de ideias; Apresentando propostas concretas, com objectivos e metodologias claras; Realizando balanços sobre os resultados alcançados e sobre os projectos que possam vir a ser desenvolvidos; Visitando as estruturas empresarias, sociais e culturais do círculo eleitoral e propondo políticas de proximidade; Apelando à participação de todos; Mais Cidadãos = Mais Participação = Mais Liberdade

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Lisboa
Círculo do Porto
Círculo de Santarém

No Facebook:
No Twitter:
Site pessoal ou blog:

Proponentes de Ricardo Fernandes Santos