Paulo Fidalgo

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
Paulo Aníbal de Oliveira Fidalgo

Data de nascimento:
4/25/1955

Naturalidade:
Luanda

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Como estudante de Medicina fui eleito para a Comissão de Curso em 1972 e para a Direção da Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa (AEFML) em 1974. Representei a AEFML no secretariado da Reunião Inter-Associações de Lisboa e no secretariado do Encontro Nacional de Direções Associativas. Após a licenciatura, fui ativo na fundação do sindicato dos médicos, fui eleito para a Direção do Sindicato dos Médicos da Zona Sul onde fui vice-presidente. Participei na formação da Federação Nacional dos Médicos em 1988 e pertenci ao seu conselho nacional. Em 2008 fui eleito para o Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos e representei-o no Conselho Nacional Executivo. Em 1995 fui nomeado pela Ministra da Saúde para a Comissão do Estatuto do Hospital Público. Fui ainda nomeado para o Comité de Promoção de Saúde e para o Comité de Investigação junto da União Europeia. Ainda antes do 25 de Abril aderi à União de Estudantes Comunistas. Fui membro da Direção Nacional do ensino superior da UEC. Nos anos 90, trabalhei na Comissão de Saúde do PCP. Em 2000 fui delegado ao XVIº Congresso do PCP. No quadro das divergências então verificadas, participei na criação da Associação Política Renovação Comunista, da qual sou atual Presidente. Como médico a trabalhar no IPO, atingi o lugar de Chefe de Serviço, por concurso. Sou co-autor de 4 dezenas de artigos em revistas científicas indexadas. Presentemente, sou gastrenterologista no Centro Champalimaud.

Apresentação da candidatura
Pertenço à candidatura Livre/Tempo de Avançar desde a sua formação e candidato-me para ajudar a libertar o país da coerção austeritária com que o capitalismo europeu mais conservador exerce o seu diktat sobre os povos. O austeritarismo visa reverter as disfarçadas falências bancárias da crise de 2008 lançando sobre os povos da periferia europeia o ónus da sua salvação. Se é certo que o país carece de uma nova maioria para enfrentar credores e empenhar-se no relançamento económico, é irrealista admitir-se que seria possível voltar aos “velhos tempos” sem que nada tivesse que mudar. A nossa candidatura cidadã é o espaço lúcido onde se aposta em transformações efetivas, em Portugal e na Europa, com vista à superação estrutural dos problemas que nos mergulharam na crise. Para além de derrotar a direita, Portugal tem de combater a oligarquia baseada nos grandes interesses que tudo corrompem, e usar o essencial da riqueza que produzimos a favor de um desenvolvimento solidário. É com um programa solidamente fundamentado, porém audacioso, que se poderá bascular o rumo da governação para a esquerda e mostrar como a conquista de posições na governação é, e será, uma condição necessária para mudar. No espectro de forças anti-austeritárias, só a nossa candidatura rompe com o tabu acerca do diálogo com o Partido Socialista, considerando que a futura mudança de ciclo depende de uma convergência de forças que inclua o centro-esquerda. Não obstante as dificuldades de entendimento não há alternativa a uma política de convergência que aposte, até ao limite, na busca de compromissos inadiáveis. Defendo os princípios e formas de atuação da candidatura Livre/Tempo de Avançar. A minha experiência pode ser útil ao Movimento com foco na área da saúde. São também áreas de intervenção, a promoção de uma nova política económica, ecologicamente sustentada, e a luta pelas alterações dos tratados Europeus que coloquem a União Europeia num rumo de cooperação e solidariedade entre os povos.

Áreas de intervenção preferenciais
Saúde, União Europeia e economia.

Como pensa interagir com os eleitores?
Através do contato regular e organizado, ouvindo as opiniões e propostas.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Lisboa
Círculo de Portalegre

No Facebook: https://www.facebook.com/paulo.fidalgo1
No Twitter: https://twitter.com/FidalgoPaulo
Site pessoal ou blog:

Proponentes de: Paulo Fidalgo