<José Reis

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
José Joaquim Dinis Reis

Data de nascimento:
8/10/1954

Naturalidade:
Aldeia das Dez

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Sou Professor Catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Nasci há 60 anos em Aldeia das Dez, Oliveira do Hospital, distrito de Coimbra. Vivo em Coimbra desde 1969. Fui Presidente do Conselho Científico da FEUC e estou a terminar três mandatos como seu Diretor. Presidi à Comissão de Coordenação da Região Centro e fui Secretário de Estado de Ensino Superior. Sou presidente da Assembleia Geral da Associação de Melhoramentos da terra onde nasci e da Mesa de Curadores da Fundação Memória da Beira Serra, proprietária do jornal A Comarca de Arganil. Recebi a Medalha de Ouro do Município de Oliveira do Hospital. Participei ativamente no Congresso Democrático da Alternativas e no manifesto 3D e subscrevi o manifesto dos 74, que propunha a renegociação e reestruturação da dívida pública portuguesa. Como economista tenho-me dedicado ao estudo e à intervenção pública sobre a economia portuguesa e a União Europeia. Tenho combatido as visões que pretendem, de forma explícita ou dissimulada, sujeitar as pessoas a supostas determinantes da economia e procuram desfazer direitos sociais, desvalorizar o trabalho, desmantelar o Estado e capturá-lo para o pôr ao serviço dos poderosos e criar mercados, desfazendo as funções públicas. Tenho defendido que a crise que vivemos não foi originada pela dívida pública mas sim pela financeirização e pelo modo como o sistema bancário português impôs a suas decisões e os seus interesses, “governando” despudoradamente o país.

Apresentação da candidatura
Portugal está sob urgência. Desigualdades crescentes, pessoas desapossadas, expectativas frustradas, futuros desfeitos. A economia, com a suas relações fundamentais degradadas, não cria emprego e a riqueza criada está sujeita a uma distribuição iníqua, a favor dos poderosos e de um obscuro mundo financeiro, contra os que vivem do trabalho. Perante um quadro destes, uma boa parte da esquerda portuguesa age como sempre agiu. Une-se na denúncia e na resistência mas recusa-se a construir uma nova cultura política, em que haja ação em nome do povo e dos que ficam sem direitos e assuma que sabe como erguer uma “agenda inadiável” para novas e robustas soluções. Não basta construir trincheiras que nos separem. É preciso regressar ao forum onde se constrói a polis. Candidato-me em Coimbra. Uma cidade e um círculo eleitoral exemplares para discutirmos o que em Portugal deve ser valorizado e o que em Portugal é menosprezado. Está a degradar-se a coesão territorial, não se dá valor às formas de vida urbana mais qualificadas, desliga-se o território, através de desequilíbrios cada vez mais profundos. Falaremos em nome de Coimbra para afirmar a sua urbanidade e a sua capacidade para ser parte de um projeto de país ao avesso de tudo o que ocorreu nos últimos anos, para ser um lugar relevante e desempenhar um papel na articulação territorial de um país desorganizado por polarizações metropolitanas empobrecedoras. É para isso que importa a cidade média portuguesa mais qualificada e a única que estrutura de forma própria um espaço muito relevante de mais de 400 mil pessoas. É por isto que sou parte de uma candidatura cidadã onde está a mais profunda consciência do que deve ser posto no lugar da austeridade que nos empobreceu e desqualificou e a mais profunda inquietação para nos exigirmos a todos participação ativa em soluções exigentes para o país, em nome do futuro da esquerda e dos que vivem mal. Retomaremos o direito de fazer e de acreditar.

Áreas de intervenção preferenciais
Política económica, desenvolvimento regional, organização territorial.

Como pensa interagir com os eleitores?
Contacto direto, através do coletivo da candidatura, por mail.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Coimbra

No Facebook:
No Twitter:
Site pessoal ou blog:

Proponentes de José Reis