Sérgio Domingues

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
António Sérgio de Azevedo Domingues

Data de nascimento:
3/8/1984

Naturalidade:
Amares

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Chamo-me Sérgio e tenho 31 anos. Nasci e cresci em Amares, distrito de Braga, onde fiz-me pessoa. Pratiquei atletismo, voleibol, fiz (e faço) parte de um grupo de animação de rua, onde aprendi muito dos valores de Abril, mas sobretudo: “paz, pão, habitação, saúde, educação”. E assim começou a minha experiência associativa. Com um grupo que trouxe a uma pequena vila debates sobre sexualidade, as celebrações do 25 de Abril para a rua, a sátira política para o desfile de Carnaval. Esta associação é hoje, ao fim de tantos anos, uma das mais profundas raízes à minha terra natal. Licenciei-me em Engenharia Civil, pela Universidade do Porto. Emigrei. Vivi dois anos em Marrocos, onde experimentei o meu primeiro obstáculo político enquanto emigrante. O consulado estava a 300km de distância e não votei nas Europeias de 2009. Regressei a Portugal para fazer um mestrado em sistemas de transportes pelo MIT Portugal (lançado por Mariano Gago). Emigrei novamente. Estou na Bélgica desde 2012. Fiz investigação na Universidade de Antuérpia e tive trabalhos temporários. Estou a trabalhar a tempo inteiro no meu doutoramento desde 2014. Os meus tópicos de interesse são investimentos em infra-estruturas de transporte, parcerias público-privadas e renegociações. Segui atentamente o LIVRE nas primárias para as eleições europeias de 2014. Cinco anos depois de não ter podido votar por estar fora de Portugal, tenho o direito de participar activamente na política portuguesa. É Tempo de Avançar.

Apresentação da candidatura
Tendo subscrito as linhas programáticas desta candidatura cidadã, julgo que devo começar por manifestar a minha posição relativa a dois aspectos programáticos. Faço-o em nome da clareza e integridade das minhas convicções, que poderão ser compreendidos por uns como contraditórias, ou por outros como um sinal de independência e abertura a diferentes formas de estar na política. Em primeiro lugar, sou favorável à privatização da TAP. Considero que o Estado deve possuir uma função reguladora e fiscalizadora sobretudo em áreas economicamente concorrenciais. Considero igualmente que o actual processo de privatização em curso é opaco e que deve ser adiado para a próxima legislatura em virtude da proximidade das eleições e da actual enfraquecida posição negocial do Estado. Em segundo lugar, sou favorável ao modelo de Parcerias-Públicas Privadas. Julgo que existem diversos aspectos que importa corrigir e melhorar de modo que o interesse público esteja salvaguardado em futuros contractos. Quero assentar a minha candidatura nos mesmos princípios da Revolução Francesa: Liberdade, Igualdade e Fraternidade. A liberdade de podermos tomar decisões sem estar sobre o jugo da dívida, de amarmos quem quisermos, de sermos quem somos. A igualdade no acesso a cuidados de saúde, justiça e educação. E nisso estamos, a cada dia que passa, mais desiguais. A fraternidade inter-geracional garantindo uma Segurança Social de todos e para todos. Uma fraternidade a nível territorial, promovendo políticas descentralizadoras e de ordenamento territorial que visem combater a desertificação.

Áreas de intervenção preferenciais
A minha primeira área de intervenção prende-se necessariamente com a minha experiencia profissional: Parcerias-Públicas Privadas e concessões no sector dos transportes, onde defenderei: 1) Transparência: Os contratos de PPPs e concessões devem ser tornados públicos e acessíveis ao cidadão. 2) Legislação: Acompanhamento das melhores prácticas para o desenvolvimento de leis que garantam a eficiência, transparência, e prestação de contas de modo a garantir projectos com retorno económico e evitar ocultações de dívida em veículos financeiros. 3) Regulação: O Tribunal de Contas tem vindo a pedir um reforço dos meios humanos e técnicos para o Estado Português na criação, supervisão e acompanhamento destes contratos, nomeadamente a Unidade Técnica de Acompanhamento de Projectos (UTAP) criada em 2012. 4) Flexibilidade: É necessário dotar o sector público de mecanismos que permitam modificar os termos (e.g. revisões mais frequentes, desenvolvimento faseado de projectos, etc.) do contrato ao longo da sua longa vida útil sem incentivar comportamentos oportunistas por parte do parceiro privado. Representar activamente portugueses emigrados, nomeadamente: 1) Criação de plataformas electrónicas que agregem a informação para quem sai do país em busca melhor, e permitam a prestação de serviços públicos eficientes; 2) Automatização do processo de recenseamento eleitoral aquando da mudança de morada para fora do país; 3) Desenvolvimento de testes piloto para a validação de propostas de formas alternativas de voto em movimento (e.g. voto electrónico) Consolidar a rede associativa no estrangeiro, no sentido de promover cooperação e acompanhamento das necessidades específicas de cada comunidade; 4) Apoio ao ensino do português para emigrantes de segunda e posteriores gerações; 5) Reforçar a cooperação com as autoridades locais para combater abusos contra trabalhadores que são enganados e abandonados no estrangeiro; Outras áreas de interesse gravitam em torno de políticas de educação e associativismo que fomentem uma participação mais activa da sociedade na nossa democracia.

Como pensa interagir com os eleitores?
Para além dos devidos canais institucionais, proponho-me a fazer uma utilização regular dos meios tecnológicos disponíveis, nomeadamente redes sociais e sistemas de vídeo-conferencia. Igualmente importante, pretendo estar presente em todo o tipo de discussões públicas onde possa dar o meu contributo para uma discussão mais informada.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo da Europa
Círculo de Braga.
Círculo de Fora da Europa

No Facebook:
No Twitter: https://twitter.com/serdomingues
Site pessoal ou blog:

Proponentes de Sérgio Domingues