CarlosAlmeida_foto

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
Carlos Ferreira de Almeida

Data de nascimento:
8/6/1971

Naturalidade:
Lisboa

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Carlos Almeida, 43 anos, licenciado em engenharia electrotécnica pelo Instituto Superior Técnico (IST). Sou director de efeitos especiais digitais e docente universitário na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Socialista e libertário, colaborei com a associação de estudantes do IST entre 1993 e 1995 e participei nos movimentos estudantis de contestação às propinas no ensino superior entre 1991 a 1995. Faço parte, daquela que foi apelidada de geração rasca. Fui subscritor e participante das assembleias constituintes do LIVRE, promotor do movimento Tempo de Avançar e pertenço à associação Fórum Manifesto. Gostava de ter um governo de esquerda, por uma vez na vida (governos provisórios não contam)

Apresentação da candidatura
A última legislatura foi caracterizada por um ataque ideológico sem precedentes ao estado social. Em poucos anos um pequeno grupo de fanáticos radicais desmantelou o que várias gerações construiram ao longo de décadas, debaixo de uma falsa imposição externa. Temos hoje uma sociedade desigual, cujas condições à partida não são idênticas para todos, sem mecanismos de redistribuição da riqueza e com o contrato social em risco. As esquerdas têm por isso a obrigação de sobrepor às diferenças ideológicas que as dividem, a convergência na defesa do que as une e que constitui a sua matriz comum; A reposição do Estado social. Devem por isso constituir-se como uma alternativa de governação à esquerda na próxima legislatura. Europeista, considero ainda que a saída do euro deve ser equacionada; Sem uma legitimidade clara, a escolha entre o cumprimento do tratado orçamental e o emprego e crescimento, só pode ser uma. Só equacionando uma saída do euro poderemos ter uma posição negocial na constituição de uma Europa mais democrática. O exercício da cidadania é um dever; Participar na construção de uma sociedade justa e igualitária, honra o que somos e define-nos enquanto pessoas. Todos devemos estar disponíveis a participar porque aqui, mandamos todos.

Áreas de intervenção preferenciais
Reposição do Estado social e dos mecanismos redistributivos, cultura, comunicação social e novos media. Convergência à esquerda.

Como pensa interagir com os eleitores?
Interessa que todos os representantes tenham o envolvimento e a disponibilidade pessoal para interagir com os eleitores e que publicitem de forma justificada e inteligível todas as suas posições, usando, sempre que possível, canais públicos e sistemas tecnológicos de código aberto não sujeitos a registo e controlo privado.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Lisboa

No Facebook:
No Twitter:
Site pessoal ou blog:

Proponentes de Carlos Almeida