Foto Jose Caldas

Partilhe esta candidatura nas redes sociais

Nome completo:
José Maria Lemos de Castro Caldas

Data de nascimento:
7/25/1954

Naturalidade:
Lisboa

Nacionalidade:
Portuguesa

Apresentação pessoal

Nascido em 1954 conheci um país que os mais jovens hoje não podem imaginar. Pobre, dividido, conformado, doente. Vivi parte desse tempo já consciente de que havia quem lutasse e por isso pagasse um preço. Abril livrou-me da guerra ou do exílio. Vibrei e vivi depois anos intensos quase a tempo inteiro. Já adulto e pai, voltei a estudar e depois tentei ensinar, ou melhor, inspirar. Sou economista. Mas a Economia que pratico tem história, ideias divergentes, pessoas dentro, valores que devem ser discutidos e assumidos antes da técnica. Tem política dentro e não prescreve soluções inevitáveis. Agora sou avô, mas continuo. Declaro que sou devedor. Devo a quem mais amo. Devo aos amigos. Devo a quem lutou pela liberdade, a quem construiu justiça social em democracia, a quem continua hoje, apesar de tudo. Essas são as boas dívidas que procuro honrar.

Apresentação da candidatura
Teria vergonha se não tentasse. Se não desse o que tenho, e as mais das vezes não tenho, para tentar evitar que a crise transforme em normalidade o medo e a insegurança, e que dessa normalidade doentia despertem os monstros que todos pressentimos. Não quero para os meus filhos e netos, nem para ninguém, um país em que o ter e o não ter seja outra vez uma condição de acesso a direitos e à dignidade. Não quero viver submisso a uma ínfima minoria arrogante e ignorante, nem ver outros submissos. Não aceito que me digam, porque não é verdade, que “não há alternativa”. Quero, como sempre quis, liberdade. Quero um mundo em que seja a reciprocidade e não a dependência o que nos obriga a trabalhar mesmo quando preferiríamos outra coisa. Em que a solidariedade nos proteja de riscos que não devem ser sofridos individualmente. Não acredito que seja normal, ou que esteja escrito em leis da natureza, que uns devem mandar e outros obedecer, dependendo o lugar de cada um do berço em por acaso nasce, ou de vantagens que por sorte, persistência, engenho, ou astúcia, consegue adquirir. Posso pouco, mas quero tentar. A política só deixará de ser dos mesmos de sempre se muitos tentarem.

Áreas de intervenção preferenciais
Política económica, política ambiental

Como pensa interagir com os eleitores?
Falando e ouvindo. Acredito pouco nas redes sociais e nas suas virtualidades. A falar é que a gente se entende. Falar e ouvir, olhos nos olhos, em encontros presenciais em que cada um possa dizer da sua justiça.

Círculos pelos quais concorre:
Círculo de Lisboa

No Facebook:
No Twitter:
Site pessoal ou blog:

Proponentes de José Maria Castro Caldas