Partilhe este post

 artigos de Carlos Teixeira

Neste preciso momento ergue-se numa das paredes da Universidade de Chicago um relógio que regista a seguinte hora: 23h57. Não é um relógio qualquer. Os três minutos que separam o ponteiro da meia-noite ditam a contagem decrescente que nos separa de uma catástrofe global. Desde 1947, o ‘relógio do apocalipse’ é regularmente ajustado para simbolicamente nos transmitir o perigo relativo que representam as nossas acções enquanto espécie. Os escassos três minutos actuais são justificados com base na persistente ausência de acordos globais que permitam combater as alterações climáticas e na contínua modernização e proliferação do armamento nuclear. Com efeito, qualquer tipo de escalada bélica internacional que envolvesse um ou mais países com capacidade nuclear representaria no imediato um perigo letal para qualquer ser vivo à face da Terra. Paralelamente, as alterações climáticas, o declínio da biodiversidade e a disrupção de vários dos ciclos naturais do planeta, exemplificam bem o conjunto de problemas maiores que emergem da actividade humana, não recebem a resposta colectiva que exigem e que prosseguem acumulando potencial destrutivo a cada minuto (de impasse civilizacional) que passa.

Observando este quadro, é natural que nos questionemos quanto à nossa capacidade individual para interferir no percurso que a civilização humana tem feito e que nos trouxe a estes três minutos simbólicos. Mas é pela acção individual que a decisão colectiva emerge. Quando tomamos decisões, quando agimos, quando escolhemos em quem votar, lançamos no caos – moldado por biliões de decisões individuais – o bater das asas de uma borboleta que dita o nascimento de um furacão ou de um salto civilizacional que nos resgate a todos.

Tomemos essa responsabilidade para nós, escolhendo entre os que procuram governar aqueles que, decidindo para os portugueses e pelos portugueses, procuram caminhos para a civilização. Se no impasse o tempo se está a esgotar, sejamos corajosos: é tempo de avançar!

09/05/2015, Lisboa

Carlos MGL Teixeira

Biólogo

carlosmglteixeirapt@gmail.com