"Conheço bem as mulheres do Vale do Ave", por Isabel Prata

Conheço bem as mulheres do Vale do Ave. Que trabalharam na fábrica, 30 anos, todos os dias, oito horas por dia. Oito horas do ruído ensurdecedor dos teares, as mãos estragadas pelos tintos ou, ainda pior, por acidentes que, não poucas vezes, as desfiguraram. Conheço as mulheres do Vale do Ave que ao longo de 30 anos, oito horas por ... Read More