Lúcia Reixa Silva

Área programática: Saúde
Saúde mental – Descentralização e Integração do doente mental. Após encerramento de hospitais psiquiátricos e desinstitucionalização abrupta, carce-se de resposta adequada social, e com vista à integração do doente mental crónico com internamento prévio de longa duração.
Reforçar o modelo comunitário em saúde mental, criando soluções residenciais adequadas de acordo com este paradigma e reforçando o número de técnicos. O modelo consiste  em criar e subsidiar pequenas unidades residenciais, situadas no exterior de hospitais, e portanto inseridas nas comunidades locais. Estas unidades nada mais são do que casas – moradias ou apartamentos – partilhadas por um pequeno número de utentes, com acompanhamento especializado diário, com actividades ocupacionais e/ou emprego protegido. A fórmula é bastante simples, ao invés de termos instituições enormes com largo número de doentes internados durante 40 anos ou mais (o modelo hospício, portanto) – passamos a ter os doentes como agentes intervenientes na sua recuperação e na manutenção do seu estado de saúde, devidamente apoiados no processo, mas com responsabilização tanto quanto possível do próprio utente pela sua saúde, pela casa e pela ocupação diária e rotinas.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *