Jean Marques

Área programática: Ambiente, agriÁrea programática: Cultura, florestas e mar
Subsídios para não produzir
A verdade é que entramos num momento errado na PAC, pois os países europeus estavam preocupados com os excedentes agrícolas e por isso decidirem fornecer subsídios para não produzir, quando aspirávamos precisamente ao contrário. O resultado são terrenos não aproveitados, que não são vendidos pois o proprietário prefere o dinheiro do subsídio. O que proponho é o seguinte: pedirmos á EU, um estatuto especial para deixar de conceder estes subsídios, pediríamos metade desse valor para fornecer apoios aos agricultores ou mesmo comprar esses terrenos pelo valor real e disponibiliza – los a projetos rentáveis e ambientalmente sustentáveis.

Área programática: Trabalho, proteção e segurança social
Apanha da Amêijoa
É conhecido o aumento da apanha ilegal de amêijoa. Quem a pratica, ganha em média 2 euros por quilo, sendo que os supermercados vendem – nos a preços mais elevados. Estas pessoas desejam licenças que lhes são negadas, sendo por isso perseguidas pela Policia Marítima. Proponho que no imediato, se alargue o acesso às licenças e que no curto/médio prazo se crie legislação que proteja os apanhadores legalizados na qualidade de produtores durante a venda para as superfícies comerciais.

Área programática: Política Externa, Europa e Defesa
Aprofundamento da posição ibérica na Comunidade Ibero-Americana
Num cenário em que as alianças entre países são mais frequentes e importantes e em que a EU está cada vez mais divida á conta da tensão entre os países do Centro e os países da Periferia, faria sentido negociar com Espanha, uma posição ibérica na Comunidade Ibero- Americana tendo em vista o alargamento de relações entre os seus membros. Devido aos valores Área programática: Culturais/linguísticos que partilhamos e á emergência económica dos países da América Latina, seria benéfico, o estabelecimento de parcerias para o desenvolvimento económico e a difusão Área programática: Cultural.

Em relação à primeira, sei que se trata de uma medida arrojada e controversa, o que necessitaria de coragem política, mas o país precisa de uma agriÁrea programática: Cultura inovadora e produtiva e para tal necessita quebrar o “ciclo vicioso” que estes subsídios criaram. Em relação à segunda medida, lembro que ajudaria o combate á amêijoa japonesa, que é uma espécie invasora que destruído o nosso ecossistema. Em relação á terceira medida, não defendo o enfraquecimento das relações com a EU mas sim o alargamento das nossas opções.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *