Helder António Lourenço Gonçalves

Área programática: Políticas redistributivas
Má distribuição da riqueza gerada
Todos queremos que se gere riqueza. Mas ela deve ser distribuída de forma justa. A riqueza gerada pelo trabalho e esforço de muitos não pode ficar no bolso de poucos. Patrões que pagam salários mínimos e nada mais porque a mais não são obrigados, mas depois ostentam luxos, não merecem consideração. Como primeira medida, e que considero urgente, sugiro o aumento imediato do salário mínimo nacional para valores realistas mas dignos. Seria a primeira medida de muitas que há a tomar nesta questão. Urge combater a corrupção e a evasão fiscal para que a riqueza seja canalizada para onde deve.

Área programática: Justiça, Estado e Administração Pública
“gorduras” do estado
O estado tem algumas “gorduras”, efectivamente. Mas essas “gorduras” não são os salários dos trabalhadores nem as reformas conquistadas pelo trabalho. As “gorduras” são as reformas milionárias que se pagam a “gestores”, que não se sabe muito bem o que fizeram para as merecer e que muitas vezes até levaram as instituições a seu cargo à falência. É necessário acabar com o regabofe de assessorias e consultadorias externas e aproveitar as capacidades técnicas dos funcionários do estado.

Área programática: Educação
Qualificação das pessoas
Para uma sociedade desenvolvida e justa, é essencial uma aposta séria na qualidade da educação. O estado tem a obrigação de proporcionar uma educação de qualidade que chegue a todos, independentemente de credos, raças e condições sociais. Só assim conseguiremos uma sociedade com menos desigualdades. Os gastos com a educação não são despesa, trata-se de investimento. O retorno demora a vir, mas vem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *