Sérgio Caldeira

Área programática: Justiça, Estado e Administração Pública
Figura do “fiador”
Quando se contrai um empréstimo bancário, por exemplo para comprar casa, é comum instituição exigir a garantia dada por um fiadore. Esta figura remete para a garantia que é dada não pelo estado, que tem o dever de manter as suas instituições viáveis e operacionais, mas antes por alguém que seja da relação directa com quem contrai o empréstimo, habitualmente um familiar ou amigo. Este apelo é imoral: o estado e as instituições de crédito respaldam-se em instâncias Área programática: Culturais arcaicas, quando o moderno estado se constrói na abstracção oposta às relações objectivas suportadas em relações de parentesco e se ergue justamente por oposição a essas organizações sociais primitivas suportadas por laços de sangue ou por redes sociais informais de proximidade.Acresce ainda que existem seguros que podem e devem funcionar em substituição, e o próprio estado deve criar os mecanismos que garantam os deveres que agora recaem sobre o fiador.

Área programática: Educação
Cantinas Escolares
O estado impôs o fim das cantinas escolares com refeições confeccionadas por funcionários próprios e de a gestão destas cantinas a empresas de catering, que na mira do lucro fornecem comida de má qualidade e em quantidades inferiores. Isto leva a situações de fome, quando muitas crianças só podem comer na escola. Muitas vezes os bares são fechados com o argumento falacioso que pretendem evitar que as crianças comam “junk food”. Pior do que comer esse “lixo” é não comer nada e sustentar a ganância das empresas de catering, ainda mais porque as crianças não podem defender-se. Proponho que se volte ao modelo em que são funcionários das escolas a confeccionar a comida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *