Pedro Flores

Área programática: Ambiente, agriÁrea programática: Cultura, florestas e mar
Mais de um terço dos solos no território nacional apresenta sinais de degradação e mais de metade dos solos, 52%, apresentam grande ou elevada susceptibilidade de desertificação (fonte sociedade portuguesa da ciência do solo).
Promover e efectuar a alteração e revisão da lei de bases do ambiente e sua legislação ambiental bem como harmonizar a legislação complementar, com o objectivo de implementar legislação de preservação e valorização ambiental, baseada numa visão ecocêntrica. E introdução de legislação penal que permita uma punição exemplar para os infractores.

Área programática: Ambiente, agriÁrea programática: Cultura, florestas e mar
Esta ganância de crescimento económico infinito provoca a miséria social e o extrativismo, aliada à poluição, com consequências dramáticas para o clima e vida na Terra.
É necessário fomentar o Novo paradigma Ecológico no implemento do conceito de Sustentabilidade Integrada. Acompanhando três princípios de dimensão: Politica, do Conhecimento e do Ambiente. Implementar acções de formação e sensibilização sobre a temática protecção dos valores ambiental e seus atentados, junto dos magistrados. A comunidade judicial tem que ter a noção básica desta problemática. Criar uma nova unidade policial de investigação sobre a ocupação indevida dos solos, por especulação imobiliária e exploração industrial promovida por alterações indevidas do PDM. Defesa e preservação do Património Ecológico Comum.Tendo em vista várias vertentes, entre as quais a dinamização e implementação da Agroecologia. Incluindo a divulgação, ensino e formação para a prosperidade sustentável, da sociedade.

Área programática: Ambiente, agriÁrea programática: Cultura, florestas e mar
No Algarve e Costa Vicentina – Industria de exploração petrolífera em alta profundidade cerca de 1.500 metros de profundidade (deep water) promovendo à mesma catástrofe que surgiu na Florida (EUA). Industria pesqueira intensiva e de alta profundidade, na nossa costa.
Princípios fundamentais de um governo – a Aplicar de imediato: Recusar as grandes explorações ambientalmente nefastos ao Planeta. Proibir e rescindir após alteração legislativa com acção retroactiva de toda e qualquer exploração nociva ao PEC (património ecológico comum), nomeadamente mega construções, agriÁrea programática: Cultura intensiva, OGMs, exploração petrolífera, extracção mineira. Rescisão e proibição de contratos com a Monsanto e empresas afins. Planear reduzir gradualmente os sectores da economia que nos colocam em perigo (nuclear/mineiro/ogms), necessário definir prioridades. Incentivar e isentar de impostos instituições amigas do ambiente. Objectivo simbólico: Criar em Portugal um santuário livre de Organismos Geneticamente Manipulados. (sementes e produtos para consumo).

Tendo como objectivo primordial a Procura da Prosperidade Sustentável. O Estado (comunidade) nesta sociedade, tem a obrigação de proporcionar oportunidades, para aplicarmos as nossas capacidades, afim de nos realizarmos, enquanto seres humanos, mas dentro dos limites ecológicos de um planeta finito. Implementar uma visão económica positiva com prioridade preservar o ambiente e atenuar as alterações climáticas. A mudança climática representa uma oportunidade histórica de iniciar uma transformação progressista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *