Helena Caetano

Área programática: Educação
As elevadas taxas de insucesso escolar que não estão a ser estaticamente tratadas de forma a refletir a realidade, pois existem muitos jovens que terminam ou não a escolaridade obrigatória sem as competências básicas para 1º ciclo ( muitos não sabem ler)
Deveria de existir nas escolas à semelhança do que acontece com a intervenção precoce, uma intervenção baseada no aluno e idiossincrasia do mesmo e deveriam ser aplicadas medidas que visem o sucesso escolar de acordo com as suas necessidades reais para que possa progredir escolarmente, não colocando em risco o seu desenvolvimento a nível emocional, muitas vezes colmatado com diagnósticos que levam à medicação. Podemos ler as notícias nos media a nível mundial sobre ritalina, “a droga do momento”´. As estatísticas tem de estar de acordo com a realidade e não devem ser uma falácia para que nos rankings as escolas obtenham uma boa classificação.

Área programática: Justiça, Estado e Administração Pública
Número elevado de reclusos por desigualdade no acesso à justiça
Todos os cidadãos devem ter o direito à sua defesa não pode haver uma justiça forte para os fracos e fraca para os fortes. Existem cidadãos em situação de reclusão que nunca lhe foi proposto a realização de trabalho comunitário. Observe-se os valores gastos por dia com cada recluso e o quanto poeríamos poupar aos cofres do estado com o trabalho comunitário ou outra medida punitiva em prol da comunidade que a todos beneficia.

Área programática: Ambiente, agriÁrea programática: Cultura, florestas e mar
O sub-aproveitamento dos recursos existentes
Deveriam ser incrementados projetos de desenvolvimento rural para que existe um aproveitamento dos recursos existentes e diminuíssemos as taxas de desemprego e rendimento social de inserção.

Temos um país maravilhoso onde infelizmente impera o compadrio e a corrupção onde a meritocracia não existe o que torna os serviços obsoletos e sem repostas aos cidadãos com gastos excessivos por parte do estado e sem otimização dos recursos existentes. É tempo de mudança e de avanço porque se os nossos antepassados tivessem a passividade que nós temos hoje, ainda estaríamos a viver uma ditadura ou recuando mais um pouco no tempo, uma republica. Está nas nossas mãos mudar o rumo do país!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *