Jorge Manuel Almeida Ferreira

Área programática: Educação
A criação dos Mega agrupamentos tem como resultado principal (excluíndo o corte nas despesas) foi a descaracterização da identidade das escolas que os constituem.
Regresso a uma lógica que valorize e incremente a autonomia real das escolas, entregando a agentes educativos (democráticamente eleitos para esse efeito pelos seus pares), as responsabilidades de gestão e organização curriculares e de pessoal, responsabilizando-se estes agentes por responder perante a tutela pela gestão desenvolvida.

Área programática: Educação
A conhecida por Municipalização da educação básica pública como modo de implementação de lógicas partidárias condicionantes de lógicas pedagógicas
Uma autonomia das escolas real e concreta, liderada e participada por docentes especializados nas áreas da gestão e administração escolar e da gestão dos currículos, acessorados por técnicos especializados nas mais variadas áreas que com as escolas colaboram (serviços de psicologia, segurança social, comissão de proteção de crianças e jovens, centros de saúde, instituto do emprego e formação profissional, etc …), trabalhando para responder aos desafios duma escola que queremos pública e para TODOS, a escola que valoriza as questões pedagógicas, a diferenciação das ofertas educativas, a escola onde todos os elementos da comunidade educativa se sintam respeitados e dignificados, por oposição a esta escola, espaço de inculcação ideológica mais ou menos subreptícia, de expansão da áreas de influência partidárias, de proliferação de nepotismos e tolhida por lógicas cegas de redução das despesas

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *